Crescimento do e-commerce no Brasil em 2016

Saiba como tem se comportado o e-commerce no Brasil em 2016

O comércio eletrônico é um segmento que tem como principal objetivo a facilidade de vender produtos variados, para diversos públicos, a partir de qualquer lugar com acesso à internet. Por outro lado, é também uma maneira de muitas pessoas ganharem dinheiro, oferecendo seus produtos por meio de um e-commerce, dispensando a necessidade de uma loja física.

Ter uma empresa online pode ser um desafio, porque também é necessário ter planejamento, uma equipe preparada para atuar nesse ambiente e uma excelente logística. Além disso, a presença nas redes sociais e o acompanhamento das avaliações dos clientes são ações obrigatórias.

Por outro lado, o segmento de e-commerce pode ser muito promissor. De acordo com relatório da Ebit, apesar de no ano de 2015 ele ter apresentado queda em suas vendas, no início de 2016 elas tiveram o aumento de 5,2%, o que significa um faturamento de R$ 19,6 bilhões.

Uma das maiores tendências no comércio digital é o uso de smartphones e tablets para realizar compras, sendo 23% o número de vendas efetuadas em junho deste ano. Portanto, ter uma loja virtual que tenha design responsivo é obrigatório, se você deseja obter mais vendas e garantir uma boa experiência para o seu cliente.

Outro ponto interessante é que o público feminino ainda é o maior consumidor no meio online, sendo 51,87% mulheres contra 48,13% dos homens. Esses números são interessantes principalmente para lojas que trabalham com artigos e produtos voltados para elas. A maioria desses consumidores vive na região Sudeste do Brasil (63,8%) e a média da sua renda é de R$ 5.174.

Leia também:  Webshoppers 2016: principais números do e-commerce brasileiro

Já os pagamentos são em maior parte à vista (42%), seguida da opção parcelada entre 2 e 3 vezes (24,6%). Isso demonstra a importância e a vantagem de oferecer ao consumidor o desconto à vista, facilitando a escolha dele pelo seu produto, em vez de comprar na concorrência por um valor maior, mesmo que parcelado.

Os segmentos de maior venda foram:

  • Livros (14%).
  • Eletrodomésticos (13%).
  • Moda em geral, cosméticos, saúde e perfumaria (12%).
  • Smartphones/celulares e casa/decoração (9%).

Esses índices são importantes para que você possa compreender melhor o perfil dos consumidores do comércio eletrônico e adaptar suas estratégias de acordo com as necessidades deles.

Como tem sido a sua experiência com e-commerce?

Quer melhorar os seus resultados digitais? Peça um orçamento gratuito!

NOME*

E-MAIL*

TELEFONE

MENSAGEM

Please leave this field empty.

Nenhum comentário ainda.

Deixe um comentário

Você precisa esatr Logado para postar um comentário.