Dicas para reduzir a taxa de rejeição

Como dissemos em nosso artigo anterior, a taxa de rejeição não é necessariamente má. Sua tradução é que foi ruim. O termo vem do inglês bounce rate (bounce significa quicar) e representa, meramente, uma visita que tenha visualizado apenas uma página de seu site, sem ter navegado no mesmo, não importando o tempo em que ficou nem se compartilhou e enviou para os amigos.

Embora já tenhamos tratado de algumas técnicas no artigo anterior, aqui vamos colocar algumas outras que podem ser adotadas para reduzir a taxa de rejeição, para que, de fato, reflitam uma rejeição ao site:

Eventos

Você pode utilizar um evento de tempo no Google Analytics, que dispare após o usuário ter ficado um número x de segundos em sua página. O disparo de tal evento pode contar como uma navegação e reduzirá a taxa de rejeição.

Também é possível configurar eventos para capturar interação com multimídia, como um clique para rodar um determinado vídeo, por exemplo.

Insira boas chamadas para ação

Não termine o post com uma mera conclusão. Estimule o usuário a comentar ou a entrar em contato pelo formulário de contato, ou ainda exiba artigos relacionados com uma boa chamada, como “Você também pode gostar destes artigos”. Cada formulário preenchido ou página navegada contará como uma rejeição a menos.

Quebre textos longos em pedaços menores

Textos longos são bons e há uma demanda genuína por eles. Basta vermos o tamanho do mercado de livros e e-books para vermos como tem gente que gosta de ler um bom livro, algo profundo. No entanto, há uma quantidade ainda maior de pessoas que gostam de informação rápida, para resolver um problema imediato e estas são justamente aquelas mais propensas a tomar uma ação. Portanto, textos mais curtos com links para ler mais ou informar-se melhor sobre determinado assunto podem ajudar, desde que os links se refiram ao próprio site, gerando navegação.

Leia também:  Análise de perfil demográfico no Google Analytics

Uma dica básica é utilizar paginadores para várias partes de um mesmo texto (como parte 1, parte 2, parte 3, etc.) ou utilizar títulos que abordem aquele assunto específico, enquanto classifica-se os textos dentro de uma determinada categoria ou tag.

Deve-se, contudo, tomar o cuidado para não deixar os textos demasiado curtos, de modo que a experiência do usuário seja prejudicada e a página fique leve demais, sujeitando seu site a uma penalização pelo algoritmo Panda, do Google. Um mínimo de 350 palavras para cada pedaço é recomendável.

Otimize por canal

A taxa de rejeição de uma mesma página pode variar radicalmente dependendo da origem da visita. Pode, também, variar muito de acordo com a região geográfica do visitante, mesmo que a língua seja a mesma.

Portanto, cada página precisa ser experimentada por canal. As chamadas terão apelos diferentes para público proveniente do Facebook, do LinkedIn, da busca orgânica, da busca paga, etc. Experimente e veja o que faz com que cada público diferente se sinta estimulado a navegar por seu site.

Você precisa mesmo reduzir a taxa de rejeição?

Por fim, pense bem se você precisa mesmo reduzir sua taxa de rejeição. Se seu conteúdo gera um bom engajamento em redes sociais, se seus leads qualificados estão em alta, se você recebe elogios pela qualidade dos artigos postados, seu conteúdo está desempenhando seu trabalho.

Leia também:  O que é a taxa de rejeição

Leia nosso artigo sobre taxa de rejeição, compare as métricas esperadas e fique tranquilo que isso não influencia seus resultados no Google.

Quer melhorar os seus resultados digitais? Peça um orçamento gratuito!

NOME*

E-MAIL*

TELEFONE

MENSAGEM

Please leave this field empty.

Nenhum comentário ainda.

Deixe um comentário

Você precisa esatr Logado para postar um comentário.