Quando ter muitas visitas no site não é bom

Em geral, quando estamos trabalhando com marketing digital, queremos aumentar ao máximo a exposição de nossos sites. Vale de tudo para capturar os tão necessários leads, incluindo notícias populares que estão em voga no momento, posts sobre futebol e novela, enfim, tudo, incluindo o primeiro lugar no Google para aquele termo super visitado e que requer um esforço hercúleo para alcançar. Até blogs famosos usaram isso, não?

Ocorre que, para a grande maioria das empresas, ter tráfego aleatório, não direcionado ao seu público alvo, não é algo bom. Um caso extremo que ilustra muito bem o que acontece quando um monte de gente que não é potencial cliente da empresa começa a entrar no site é a ação movida pela Utube Universal Tube & Rollform Equipment contra o Youtube, o portal de vídeos mais famoso da internet.

A Utube já existia desde os anos 1990 com seu site, utube.com. Tudo ia tranquilo até que um portal de vídeos recém-lançado começou a fazer tanto sucesso que, mesmo uma digitação incorreta, baseada no fonema do site, gerava tanto tráfego para a empresa de canos que seu site saiu do ar.

A história se arrastou por meses, tendo a empresa que arcar com servidores dedicados e até bancados pelo Youtube. Assim mesmo, a Utube resolveu processar a empresa de vídeos, pelo simples motivo de que os contatos gerados eram tão irrelevantes que se traduziam em enorme custo para as estruturas de vendas da empresa, o que levou a empresa de canos a uma onerosa, trabalhosa, arriscada e demorada mudança de marca. Eles não chegaram a mudar, mas colocaram um site de entretenimento no lugar.

Leia também:  ROI do marketing de conteúdo

Você pode achar que a alegação é exagerada, mas nós, da Conteúdo sob Demanda já presenciamos casos assim. Já vimos situações em que conteúdos produzidos para um público mais genérico, de repente começaram a gerar um número enorme de leads não qualificados, pessoas que apenas faziam perguntas mas que jamais se revelavam como potenciais fornecedores ou compradores do cliente, causando perda de tempo para a equipe comercial. Em casos assim, é necessário adaptar a página para que cumpra seu fim ou, se estiver bem posicionada em buscadores, até mesmo pedir para o Google removê-la do índice (através de noindex).

Por isso, enfatizamos: é necessário produzir conteúdo relevante e direcionado ao público-alvo da empresa e é necessário que exista sinergia entre a equipe de marketing e de vendas (o chamado Smarketing), para a devida qualificação de leads e ajuste da estratégia de conteúdo. Embora seja possível fazer pré-qualificação através de formulários e análise por software, é o retorno em conversões pela equipe de vendas, e sua avaliação, que são essenciais para ajuste da estratégia.

E uma nota de rodapé: hoje em dia, o Google e o Bing já sabem sobre quais assuntos um site costuma tratar mais vezes, inclusive em relação a métricas como retorno de usuários, links e referências, etc. Sites que postam qualquer assunto são vistos com suspeita pelos buscadores e não costumam ter bons rankings desde antes de 2010.

Leia também:  Como tirar melhor proveito do Conteúdo Online

Sucesso! E conte com a Conteúdo sob Demanda para adotar uma estratégia de conteúdo que dê resultado para sua empresa em 2016, 2017 e além. Entre em contato conosco.

Quer melhorar os seus resultados digitais? Peça um orçamento gratuito!

NOME*

E-MAIL*

TELEFONE

MENSAGEM

Please leave this field empty.

Nenhum comentário ainda.

Deixe um comentário

Você precisa esatr Logado para postar um comentário.