Retargeting vs remarketing: qual a diferença?

Em marketing digital, é muito comum procurarmos fazer remarketing e retargeting, que, na verdade, são sinônimos. Entenda o motivo.

targeting

Certamente, enquanto navega pela internet, você já deve ter se deparado com anúncios de produtos já pesquisados, de forma que eles aparecem em diversos sites, como uma “perseguição”. Isso não é nada mais do que uma ferramenta de marketing digital conhecida pelos termos retargeting e remarketing.

Se você deseja aumentar suas vendas on-line, é interessante conhecer e incluir esse artifício em seu planejamento estratégico. Para te ajudar nessa tarefa, desenvolvemos este artigo com informações essenciais sobre o tema.

Diferenças entre retargeting e remarketing

Retargeting é um tipo de anúncio on-line que utiliza cookies para “gravar” a pesquisa de um produto ou serviço em ambiente digital. Com as informações adquiridas, o usuário é impactado diversas vezes com esse anúncio durante a sua navegação. Por exemplo, se você procurar por um tênis em uma loja virtual, depois de um tempo, verá banners ou propagandas desse produto em diferentes locais da web.

Nesse contexto, a Google nomeou essa ferramenta como Remarketing, a qual é gerenciada via plataforma do Adwords. Dessa forma, o anúncio pode estar na Rede de Display (espaço destinado a anúncios) ou na Rede de Pesquisa (página de resultados do buscador).

Portanto, as duas palavras significam basicamente a mesma coisa, a diferença está apenas no fato de que a segunda está relacionada especificamente às estratégias disponibilizadas pela Google.

Leia também:  Marketing digital e de conteúdo para restaurantes

Metódos de anúncio

O retargeting pode funcionar de múltiplas maneiras:

1) Site retargeting

Este é considerado o mais comum. Nele, o javascript é definido em um site para acionar um cookie ou tag no navegador do usuário, fazendo com que o anúncio apareça para ele mais tarde enquanto navega em outras páginas.

2) Retargeting de busca

Neste caso, o anúncio é baseado em buscas por produtos, serviços, marcas ou palavras-chave em motores de busca (Google, Bing, Yahoo, entre outros).

3) Retargeting dinâmico

Ocorre quando o anúncio utiliza de tecnologia dinâmica (com base em informações relacionadas ao comportamento, perfil ou pesquisas do usuário em um site) para oferecer produtos com potencial de compra.

4) Retargeting de produto

O anúncio é veiculado a partir da visita a um ou mais sites, em que um produto específico foi visualizado, tendo sido comprado ou não.

Vale dizer que, como qualquer estratégia, esta deve ser monitorada e bem planejada, de modo que não funcione de forma negativa, ou seja, quando os anúncios aparecem de forma exagerada para um cliente que realmente não vai comprar o produto.

Além disso, o retargeting é indicado, principalmente, para e-commerce, uma vez que funciona como um meio de fechar vendas. Para isso, podem ser incluídas ofertas especiais e descontos. Também pode ser usado para obtenção de leads, direcionando usuários que tenham visto determinado conteúdo para páginas de formulário do site, casando bem com marketing de conteúdo.

Você tem interesse em utilizar o retargeting? Já usou essa ferramenta? Conta aí para gente nos comentários.

Leia também:  5 campanhas de marketing digital bem sucedidas

Texto de Camilla Silva.

Quer melhorar os seus resultados digitais? Peça um orçamento gratuito!

NOME*

E-MAIL*

TELEFONE

MENSAGEM

Please leave this field empty.

Nenhum comentário ainda.

Deixe um comentário

Você precisa esatr Logado para postar um comentário.